Manual MYST II Riven

Texto e comentários por: Adriana B. Portes.
A aventura inicia na fascinante Era Riven.
Conhecendo o enredo e o cenário do jogo.

Olá caro visitante. A maioria dos fãs de MYST é unânime em admitir que Riven uniu com competência a criação de belos cenários com quebra-cabeças inteligentes. Em minha opinião Riven foi um dos melhores jogos de toda a série. Ele transcende a função de simples entretenimento em forma de jogo de computador, Riven é realmente uma experiência inesquecível. Conheci MYST II – Riven, em 1.998 através de um anúncio vinculado em uma revista de informática. Fiquei impressionada com as imagens e fui em busca do jogo. Após esta empreitada, que levou quase seis anos, até eu poder ter um exemplar em minhas mãos, me lancei no mundo contagiante do ambiente de Riven e mergulhei na história de Atrus, descendente dos D’ni, sua esposa Catherine, nativa de Riven e Gehn, pai autoritário de Atrus.


A união de Rand e Robyn Miller com o criador e design Richard Vander Wende obteve um enorme êxito. Além disso proporcionou a todos nós, a possibilidade de interagir com dezenas de detalhes surpreendentes nos cenários e conhecer um enredo engenhoso envolvendo Atrus e sua família. A história de Riven é a sequência de MYST I. No jogo anterior os destaques são para os filhos traidores de Atrus e Catherine: Sirrus e Achenar. Atrus está preso em K’veer próximo a capital D’ni sem possibilidade de voltar e Catherine está presa em Riven. Atrus está muito preocupado com a esposa e ao mesmo tempo triste pela traição dos filhos. Mas o pior ainda está por vir… O maior temor de Atrus é imaginar o que seu pai, Gehn é capaz de fazer agora, depois de ter capturado Catherine. O melhor de tudo foi que a Equipe da Cyan soube unir de forma inteligente a história pregressa de MYST I com a história contada no livro Book of Atrus.

Riven é um jogo fascinante. No meu ponto de vista, foi realmente uma empreitada de grande monta efetivada pela Cyan. Um jogo tão extenso e tão cheio de particularidades, que ás vezes é difícil captar todos os detalhes na primeira ou segunda vez que o jogamos. Riven está em um patamar da percepção que não consigo definir por completo. E são poucos os que conseguem entender toda a essência do enredo do jogo. Um jogo tão complexo no nível dos detalhes, que manter uma Era assim pela eternidade seria impraticável, talvez seja por isso que a história de Riven seja finalizada com um grande colapso. A morte de uma Era para proporcionar um grande nascimento, no caso de Riven, uma experiência única difícil de igualar, enfim Riven possui um enredo consistente. Para os iniciantes este é o melhor jogo para conhecer o universo ficcional de MYST.

Detalhes sobre o enredo do jogo.

Segundo os relatos do Diário de Atrus, que será entregue ao explorador no início do jogo, na Ilha K’veer havia um Livro de Ligação que levava diretamente a Quinta Era ou Riven, uma obra criada por Gehn, a partir de cópias de outros livros D’ni, posteriormente esta mesma Era foi modificada por Gehn. Este ato de modificação acabou por causar problemas na estrutura desta Era, já que Gehn não era um grande conhecedor da antiga Arte de Confecção de Eras.

Gehn está preso em Riven há trinta anos e desde então ele procura um meio de fugir do seu exílio. Muitas das suas tentativas de fugir foram em vão. Movido pelas frustrações durante este tempo ele demonstrou desapego pelo ser humano e reinou como um déspota sobre os nativos de Riven, os aterrorizando com sua demonstração de força, contudo alguns nativos aprenderam que Gehn não era um deus, enfim ele tinha ficado preso naquele lugar contra a sua vontade. Estes nativos tinham proliferado uma lenda, na qual a ‘escolhida’, no caso Catherine, um dia voltaria para libertar todos os habitantes da influência do nefasto Gehn. Enquanto isso Atrus trabalhava no Livro de Riven para manter o local seguro da deterioração causada por seu pai.

No final do Livro Book of Atrus, os relatos sobre Riven são abundantes, de certa forma até caóticos, pois são tantas ações acontecendo ao mesmo tempo, que é difícil acompanhar a história. Depois de ser aprisionado por seu pai em K’veer, Atrus tem a sua disposição um único Livro de Ligação que o leva até Riven, a Quinta Era construída por seu pai. Ao chegar neste novo lugar ele quase se afoga em um dos lagos de Riven e dois nativos o salvam, Carel e Erlar. Ambos são primos de Catherine. Rapidamente os irmãos nativos levam Atrus para sua moradia, onde Catherine o observa com certa apreensão. Depois de constatar que pode confiar no filho de Gehn, eles tornam-se amigos. Catherine confessa então, que Gehn tem planos de se casar com ela, mas isso vai contra a sua vontade.

Até ali Catherine era a pupila mais promissora e predileta de Gehn, e com a nativa ele esperava ter outro filho, um filho que o seguisse em seus ideais. Atrus fica indignado com tal idéia. Mas Catherine diz para Atrus que possui um plano e mostra para ele uma Era criada por ela e por Ti’ana, avó de Atrus, chamada MYST uma ilha exuberante, mas precária de construções.

Atrus e Catherine fazem de MYST sua área de planejamento e Catherine leva para este lugar todos os Livros de Ligação que consegue surrupiar da Biblioteca de Gehn, inclusive o Livro de Era de Riven. Atrus ao ver este livro, nota que Gehn fez modificações proibitivas na Era. Uma das normas da antiga Arte D’ni de Confecção de Livros, é nunca modificar uma Era que já está pronta. Gehn além de fazer modificações, as fez de modo errático, devido seu pouco conhecimento da Arte. Atrus tenta consertar os erros, mas sabe que Riven não tem muita chance.

Atrus e Catherine elaboram um plano para prender Gehn em um Livro Prisão. Mas o plano não obtém êxito. No dia da cerimônia de casamento, ao ver o início da celebração, Atrus quase perde suas esperanças, pensando que Catherine realmente irá casar com seu pai, em meio ao início das festividades, Gehn faz um discurso aos nativos, dizendo que irá punir quem tentou ajudar o farsante que se diz seu filho, no caso Atrus. Gehn também desencadeia outras ações, que geram no casal extrema revolta.

Antes da celebração do casamento e depois de um ritual de carnificina com os nativos traidores, uma discussão acirrada inicia entre pai e filho. Gehn ameaça Atrus dizendo que ainda não terminou seus assuntos com o filho e Atrus alega que sabe o que o pai anda projetando para Riven, que tem conhecimento de todas as suas tentativas fracassadas de criar um mundo onde ele é adorado como um deus. Depois em um ato falho alega que tentou consertar os erros do pai no Livro de Riven, apenas para ajudar os nativos. Era justamente isso que Gehn queria, alguém que arrumasse as coisas para ele.

Contudo Gehn mal sabe que alguém muito mais talentosa está manipulando a Era naquele mesmo momento. Depois de um abalo sísmico surge uma estranha Fenda luminosa atrás do Templo dedicado a Gehn. Com raiva o pai arrasta Atrus até a beira da Fenda, mas antes que ele possa jogar seu filho naquele lugar, Catherine aparece com dois Livros, ela ameaça jogar os dois últimos Livros de Ligação para fora daquele lugar, na Fenda se Gehn ferir Atrus. Gehn tenta dissuadi-la, mas Catherine já está livre da influência de dele, ela então joga um dos Livros na Fenda, Gehn desesperado promete não ferir Atrus.

Neste momento a tormenta aumenta e uma grande Adaga surge na ponta da Fenda assustando Gehn. Atrus e Catherine aproveitam para fugir, então ela avisa a Atrus que voltará para MYST e que Anna a está ajudando. Atrus fica surpreso e ao mesmo tempo agradecido a sua avó. Catherine avisa a ele que a Fenda é um lugar calmo composto de estrelas e que ele não se ferirá quando cair nela. Ela dá a ele o Livro para MYST e segue primeiro para a ilha, em seguida quando Atrus prepara-se para partir seu pai surge, ambos ficam próximo a Fenda que cresce cada vez mais, Gehn exige que ele lhe dê o Livro, Atrus hesita na beira da Fenda, mas ele sabe que se usar o Livro agora, o mesmo irá fica em Riven e seu pai o seguirá. Então ele decide cair na Fenda Estelar junto com o Livro de Ligação e somente tocar no Livro quando ele estiver dentro do mar de estrelas. Atrus consegue voltar para MYST e o Livro cai na Terra e você o encontra. Gehn fica preso em meio ao caos. Durante os anos que se seguiram, tanto Atrus como Catherine cuidaram para que Riven não se destruísse, até que eles pudessem encontrar uma solução para deter Gehn.

Outras curiosidades sobre a aventura.

Para quem jogou MYST I, Riven será um local familiar. O estilo continua o mesmo que consagrou a série MYST. Vários itens do jogo estão espalhados por toda a ilha e o cenário será de suma importância para você poder concluir os quebra-cabeças. No início do jogo você terá conhecimento que Atrus vem tentando ajudar Riven fazendo ajustes e mantendo a estabilidade da ilha há trinta anos, mas após tanto tempo o trabalho parece inútil. Nos últimos tempos ele teve que realizar muitos ajustes em seu Livro de Ligação para Riven.

E por que ele desejaria tanto ir para Riven? A resposta é simples: Gehn aprisionou Catherine para forçar a ida de Atrus até esta Era. Leia o texto de Atrus em K’veer.

Gehn espera aprisionar Atrus e matá-lo para conseguir o Livro de Ligação, que poderá levar até a Era onde estão os remanescentes D’ni e depois até a sua apoteótica cidade em ruínas no subterrâneo da Terra. Contudo Atrus através de você explorador, mandará um Livro Prisão para deter Gehn. Este livro mostra um grande salão com arcos de pedra chamado K’veer, uma ilha dentro da Grande Caverna, que já foi a mansão de um importante Mestre de Guilda.

Antes da deterioração causada por Gehn a Era Riven estava formada por um único continente exuberante, coberto de florestas. Quando as modificações impostas por Gehn começaram ele transformou um belo continente verde e cheio de vida em um complexo de ilhas que estão flutuando sobre placas tectônicas ativas. Toda a energia empregada nas ilhas e nas construções são extraídas do calor emanado por esta fonte vulcânica.

Gehn teve muitos problemas em criar seus Livros de Ligação nesta Era. Ele sempre reclamava da qualidade da madeira, do papel e da tinta criada pelos nativos. O resultado é que as Eras confeccionadas por ele, não funcionavam ou não levavam a lugar nenhum. Suas tentativas de escapar de Riven foram inúteis. No ponto de vista dele, seu talento é genético e isso garante que os erros apresentados nos Livros de Ligação, apenas poderiam ser devido a qualidade do material encontrado em Riven. Isso deixou Gehn frustrado por vários anos. Assim ele alimentou a ambição de criar uma Era perfeita e jamais desistiu de seu objetivo maior: dominar e construir novas Eras. Mesmo que isso destrua povos inocentes. Tudo para reerguer a antiga Civilização D’ni. Gehn queria tanto reviver as glórias dos antigos D’ni, que começou a corromper todas as Eras em que punha a mão. Finalmente depois de vinte e nove anos em Riven ele conseguiu criar uma Era para si chamada somente de 233º, Era Ducentésima Trigésima Terceira. É para este lugar que ele pretende fugir quando Riven finalmente ruir.

Além de todas as características das ilhas, não podemos esquecer o poder exercido por Gehn sobre os habitantes. Como Gehn é o Senhor Supremo de Riven, ele usa as Adagas, enviadas por Catherine que surgiram na Era como seu próprio símbolo de poder, ele alega que as Adagas simbolizam um período de débito, dos nativos para com ele, se os nativos forem merecedores serão levados para um lugar melhor. Isso intimida os moradores do local.

Outro símbolo muito importante em todo o jogo é o número cinco D’ni. Segundo o diário de Gehn os construtores D’ni, dão uma importância quase mística a este número. Podemos ver o número cinco sobressaltar-se por todas as construções de Gehn. Além disso ele criou uma história própria para si elaborando toda uma saga de criação, conquista e realizações na história D’ni. Na Ilha Templo, há um templo de adoração para Gehn e para o animal símbolo da Era o Wahrk um grande peixe nativo. Gehn utiliza de suas artimanhas tecnológicas para aparecer em uma câmara de transmissão, fazendo-se onipresente para impressionar os habitantes. Ele também criou painéis que estão no Templo de Gehn, onde são ilustradas suas façanhas, obviamente completamente falsas. Ele também registra fatos que estão além da compreensão do povo atual de Riven. Se dizendo criador de cinco guildas de importância na Era. Seguindo fielmente a tradição D’ni, que dividiam sua sociedade em guildas especializadas. As guildas criadas por Gehn para Riven são as: Guilda dos Construtores, Educadores, Mantenedores, Exploradores e Confeccionadores de Livros de Ligação.

Mas Riven não é somente dominação e manipulação. Riven é um complexo de cinco ilhas cada uma com sua característica marcante. Aqui não há mocinhos ou bandidos, apenas pessoas moldadas pelas circunstâncias. Riven é muito mais do que um jogo, é um universo além do imaginável. Um lugar que traz lembranças remotas do passado de uma grande civilização. Uma visão de como o poder dos Livros de Ligação pode corromper uma pessoa. Riven apresenta conteúdo, mistério e quebra-cabeças inusitados. Qualquer cenário pode conter uma pista para ajudar a resgatar Catherine e aprisionar Gehn. Um lugar cheio de intrigas e onde você estará sendo todo o tempo vigiado, siga em frente ingresse nesta nova jornada.

As Eras…

A Ilha Templo: chamada por este nome por conter dois templos. Na ilha principal há um templo dedicado aos feitos de Gehn. É também por este local que você irá ter acesso a dois lugares importantes para a conclusão do jogo incluindo a Fenda Estelar. Em uma pequena ilha anexa há outro templo usado para adoração do Wahrk. Na ilha principal você terá acesso ao Grande Domo Dourado, onde a energia da Era é direcionada para as outras ilhas.

A Ilha Selva: chamada por este nome por conter uma pequena floresta. No centro da floresta há um antigo ídolo de adoração ao Wahrk. Também há uma pequena vila rivenense onde a maioria dos quebra-cabeças serão resolvidos. Neste lugar você terá acesso a uma pequena enseada, a escola D’ni, a prisão rivenense e a Era Moiety.

A Ilha Cratera: chamada por este nome por estar no centro de uma grande cratera vulcânica. Também é conhecida como Ilha de Fabricação de Livros, por conter o laboratório de Gehn, onde ele confeccionava os Livros de Ligação. Aqui você vai reunir informações para prosseguir na jornada. Entrará no laboratório de Gehn e conhecerá seus artefatos.

Era Moiety: esta Era é também conhecida por Era Rebelde ou Tay, os rivenenses revoltosos contra o poder de Gehn mantêm esta Era em segredo. Nela é sempre noite, e no seu centro há uma árvore de habitação. A árvore é um símbolo muito importante na cultura de Riven e dos D’ni. Este cenário ilustra a caixa do jogo. Aqui você terá acesso ao diário de Catherine, o qual possuí dados valiosos para o jogo incluindo o código para abrir a Fenda Estelar.

A Ilha Platô: também conhecida como Garden Island – Ilha Jardim. Chamada por este nome por estar no centro de um platô vulcânico. Você vai conhecer o Corredor de Vidro, que fica sob lava vulcânica, a câmara de observação e terá acesso ao mapa de todo o complexo de ilhas. Neste complexo você terá acesso a uma engenhoca tridimensional com os mapas de cada uma das cinco ilhas e reunirá pistas para importantes quebra-cabeças.

Era 233ª: esta Era é também conhecida por Era de Gehn. Ele fez esta Era enquanto estava em Riven. Aqui você encontrará o escritório secreto de Gehn e poderá ter acesso ao código secreto que libertará Catherine. Neste nível o jogo pode apresentar vários finais dependendo de como você reagir com os personagens.

A Ilha Prisão: ilha isolada onde existia uma árvore de proporções gigantescas, transformada por Gehn em uma prisão. Este é o lugar onde Catherine é mantida no cativeiro. Gehn reclama que ela foi presa por ter influenciado os rivenenses contra ele. Mas na verdade ele usa Catherine como isca para atrair Atrus. Neste patamar do jogo você libertará Catherine somente se tiver posse de um interessante código musical.

Manual MYST II Riven. Introdução ao jogo.
Manual MYST II Riven – Os Personagens. Explicação da interface e traduções.
Manual MYST II Riven – A Ilha K’veer. Falando com Atrus.
Manual MYST II Riven – A Ilha Templo. Início e fim da aventura.
Manual MYST II Riven – A Ilha Selva. Paisagens lindas e a morada dos nativos.
Manual MYST II Riven – A Ilha Cratera. Encontrando o laboratório Gehn.
Manual MYST II Riven – A Ilha Platô. O lugar que controla Riven.
Manual MYST II Riven – Era Moiety ou Tay. A Era escondida dos rebeldes.
Manual MYST II Riven – Era de Gehn ou 233º. Falando com Gehn.
Manual MYST II Riven – A Ilha Prisão. Falando com Catherine.
Manual MYST II Riven – A Fenda Estelar. Voltando para casa…

Texto e comentários por: Adriana B. Portes.
Siga para os manuais dos jogos ou para Conhecendo os personagens