Manual MYST III Exile – Era Edanna

Texto e comentários por: Adriana B. Portes.
Edanna a Era das Forças da Natureza.
Ajudando a mamãe pássaro.

Continuando a aventura através deste manual, você agora irá conhecer a Era Edanna. Após ouvir a mensagem de Saavedro saia da Torre Central, atravesse a ponte de metal e desça a escada anexa ao rochedo, atravesse a próxima ponte e desça até as areias da praia.

Olhando para o mar, vire para a esquerda, atravesse o caminho das pedras na pequena enseada, suba o aclive de areia, passe pelo platô com o pedestal da esfera púrpura e desça a escadaria de pedra. Na encruzilhada desça em direção a grande ponte de metal. Atravesse a grande ponte até chegar na intersecção logo à sua frente.

Acessando a câmara para a Era Edanna. Tome o caminho para o Jardim de Inverno descendo pela escada de metal fixada no paredão de rocha. Antes de cruzar a ponte para o Jardim de Inverno, clique na pedra à sua direita e siga até o próximo paredão de rocha, onde você encontrará a estranha planta que lembra uma pequena cabana.

Olhe para frente, veja a planta em forma de cabana com um estranho bulbo esponjoso no seu topo. Ao tocar este estranho bulbo você verá uma criaturinha meiga sair. Contudo ela não terá para onde ir e voltará para seu esconderijo. Agora olhe para sua direita e veja uma planta aquática. Toque neste planta e ela abrirá seus ramos fazendo uma espécie de ligação entre as várias pedras ao seu redor. Agora volte a tocar o estranho bulbo esponjoso em cima do pequeno esconderijo. O bichinho meigo, uma mistura entre um hamister e esquilo, sairá novamente e correrá em direção a vegetação semelhante a que você viu na parede rochosa metros acima.

Note que quando o bichinho deseja alimentar-se ele solta um trinado agudo e os bulbos incham. Se você já tinha libertado a pequena criatura anteriormente, como sugere este manual, não se preocupe e volte para o patamar intermediário próximo a escada de metal anexa ao paredão rochoso.

O assoalho rochoso está coberto por um musgo verde e na beirada deste platô verdejante há uma planta em tons de amarelo com grandes folhas. Ela é uma espécie de amplificador. Clique sobre ela e você ficará posicionado atrás da planta, desta posição mova as folhas até conseguir ouvir o trinado agudo da pequena criatura que está abaixo na ravina. O som imediatamente propagado irá inchar os bulbos vermelhos do paredão ás suas costas. Não mexa mais na planta e suba a escada de metal até o topo do ponto de intersecção. Agora olhe em direção a porta de acesso na construção semelhante a um chifre. Os bulbos vermelhos formaram uma ponte para sua passagem. Siga até a porta e entre.

A atmosfera é banhada por uma luz verde e o chão possui uma bela decoração. Siga até o pedestal e efetue o mesmo procedimento que você utilizou para acessar o Livro de Ligação da Era Voltaic.

Siga em frente e veja o mecanismo com esferas. Aqui você terá que usar as mesmas coordenadas já utilizadas anteriormente para focalizar o símbolo da Era Edanna na Torre Central. Lembre-se de numerar as esferas de um a quatro de fora para dentro. As coordenadas são:

Esfera 1 Posição às 11 horas
Esfera 2 Posição entre 8 horas e 9 horas
Esfera 3 Posição às 6 horas
Esfera 4 Posição às 7 horas

Após posicionar as esferas nas coordenadas corretas você verá a gaiola oval descer do teto. Você terá acesso ao Livro de Ligação para Edanna. Clique sobre a imagem do livro e você fará uma viagem panorâmica sobre a ilha que lembra uma grande árvore com raízes secas, mas em seu interior esconde-se uma enorme floresta cheia de vida.

Chegando na Era Edanna. Você será transportado para o interior desta enorme árvore e será colocado em uma espécie de abrigo no meio dos galhos. A primeira coisa que você irá ver será uma bela flor cor-de-rosa e amarela, note que no centro da flor há uma espécie de esfera semelhante a um olho com cor azul ele é um telescópio. Você ouvirá também um piado de pássaro, parece que ele está faminto ou chamando por sua mãe. Ouça também a bela música que lembra alguma melodia do oriente.

Aproxime-se da flor exótica e clique no centro dela. Você verá um Livro de Ligação para J’nanin. Ele está em uma espécie de gaiola próximo ao ninho do pássaro. No final desta Era você poderá acessá-lo. Vire-se para direita e siga pelo caminho sinuoso, após sete cliques no seu mouse, você verá uma trepadeira com enormes abas que lembram uma escada em caracol. Na verdade esta planta é uma espécie de escada, mas funciona sobre pressão, ela ondula suas enormes folhas impulsionando o usuário para cima. Clique sobre esta planta e você será conduzido a um segundo patamar.

Chegando no segundo patamar, caminhe para frente em direção a outra flor cor-de-rosa. Neste momento você verá um belo pássaro voando. Sua plumagem é colorida e ele traz no bico uma planta com sementes na cor roxa ou cor-de-rosa escuro. Em seguida ele pousará no ninho e alimentará o seu filhote, ele é ela, uma Mãe Pássaro. Para ver com mais detalhes, siga até a flor e olhe no seu centro. Após ver a cena da alimentação volte-se para sua direita e siga em direção a planta-escada.

Veja atrás dela uma espécie de reservatório com água, dentro dele há uma haste com uma cânula que alimenta a enorme planta. Agora olhe para a sua esquerda e você verá uma abertura circular que mostra o mar, siga nesta direção. Clique uma vez em direção ao caminho que estende-se à sua frente e você verá a enorme ave colorida sair do ninho em busca de mais alimento. Vire-se para esquerda e veja um estranho bulbo transparente com nervuras marrons espessas, ao tocar esta planta ela reagirá com pequenos tremores esta é uma planta-bulbo. Ela está sobre um outro reservatório vazio, que também possuí uma haste com uma cânula que leva até outra planta-escada, contudo este exemplar está seco e sem vida. Sua meta é fazê-la renascer.

Revitalizando a Planta Escada. Siga para a direita e continue no mesmo caminho, que agora irá subir para outro patamar. Ao chegar neste novo patamar olhe para a sua direita e você verá uma planta com grandes folhas que lembram leques. Veja no centro desta planta um enorme bulbo verde. Toque neste bulbo e a planta irá encolher-se ficando totalmente na vertical. Agora você verá em um nicho à sua direita em uma das grandes raízes, o segundo Livro de Ligação para J’nanin. Olhe para a esquerda abaixo e você verá o ninho colorido da Mãe Pássaro.

Agora gire 180º graus e veja ao longe uma bela flor com pétalas alaranjadas e amarelas. Só vá até esta flor se você já visitou a planta com as grandes folhas que escondiam o Livro de Ligação e os raios do sol. Siga até ela e clique no seu centro.

Na verdade ela estará de costas para você e você irá abordar sua sépala. A sépala irá abrir. Olhe o seu interior. Ela é uma espécie de lente de aumento e você poderá ver nitidamente os raios solares convergindo em uma só direção com grande intensidade. Aponte ela para a direita e você verá uma grande marca preta em uma das paredes da árvore, sinal que houve uma queimadura no local. Agora mova a flor para a esquerda e localize a enorme planta-bulbo transparente com nervuras marrons que você viu anteriormente.

Focalize o seu centro e leve o facho de sol nesta direção. Depois de alguns segundos a planta-bulbo irá expelir todo o líquido do seu interior, enchendo o reservatório e alimentando a grande planta-escada. Agora sim você poderá ver o interior desta enorme árvore que parece ter as raízes para cima e a copa para baixo…

Agora clique novamente sobre a sépala da flor-lente e o seu centro irá fechar. Rume para a sua direita, desça o caminho sinuoso e você verá a grande planta-escada viva e funcional. Embarque na planta e ela irá levá-lo para o patamar inferior desta grande ilha.

Conhecendo o interior da árvore. Ao chegar neste nível inferior, você verá uma espécie de corredor, de ambos os lados há plantas amarelas que produzem luz. Você verá muitas plantas luminescentes nesta Era. Os idealizadores destas plantas devem ter tido muitas aulas de biologia e botânica. Siga em frente e desça pelo caminho sinuoso após quatro cliques você começará a ver uma vegetação de folhagens diversas e uma espécie de lago ou aquário bem à sua frente. Note que há um peixe nadando no local e ele é elétrico. Isso faz você lembrar de algo? Sim, a mesa de estudos de Saavedro no Jardim de Inverno na Era J’nanin. Você lembra que foi necessária uma descarga elétrica para poder abrir a boca da planta carnívora? Bem você irá precisar desta informação no futuro.

Continue a exploração. vire para a direita e desça pelo caminho sinuoso. Com mais dois cliques você chegará em uma área iluminada com flores cor de lavanda, é um lindo visual. Continue o caminho tomando o lado direito, em seguida você verá no chão uma planta-bulbo, com a mesma membrana rugosa e nervuras marrom a qual você viu no patamar superior. Ela é uma planta que armazena líquido e serve como um verdadeiro reservatório com encanamentos embutidos. Clique sobre a planta para aproximar-se dela. Veja que na frente desta planta há uma espécie de válvula ou coroa vermelha. Toque nesta coroa vermelha e você verá a planta inflando com o líquido do aquário do início da trilha. Inclusive, junto com a água virá o peixe elétrico que ficará circulando no interior do bulbo. Bela imagem. Agora olhe para trás e do lado esquerdo do caminho sinuoso, sobre luzes amarelas, você verá mais páginas do Diário de Saavedro, adicione as mesmas em sua coleção de diários.

Saavedro relata nestas páginas que é interessante como as pedras se repelem na Era Amateria criando um sistema magnético inverso. Ele acredita ser alguma substância que somente funciona dentro desta Era, pois ao levar as mesmas pedras para Era J’nanin, não conseguiu reproduzir o mesmo efeito. Com exceção das pedras de Voltaic, que após receber a carga elétrica certa, flutuaram dentro do tubo de ensaio. Ele parece bem confuso ao escrever estas linhas. De qualquer forma ele busca uma substância alternativa para alterar a capacidade das pedras dentro da Era Amateria. Bem, estas são algumas pistas do que você irá enfrentar na próxima Era. No entanto agora você deve preocupar-se em como conseguir a página com o Símbolo da NATUREZA.

Siga para a esquerda e entre no caminho iluminado pelas flores amarelas. Depois vire a direita e siga em frente até chegar em uma espécie de encruzilhada. A atmosfera é mais escura e há uma verdadeira floresta intrincada à sua frente. Ao tomar o caminho da esquerda você verá que há um beiral e abruptamente o caminho termina, olhando para frente você verá uma enorme folha de bananeira enrolada. Mas mesmo clicando sobre ela, você não terá acesso a este novo lugar.

Atravessando a ravina. Volte para o final do caminho das flores marelas e olhe para a direita. Ao longe você verá alguns instrumentos, eles estão em um platô bem a direita. Neste mesmo instante você ouvirá nitidamente o som da Mãe Pássaro debatendo-se e piando alto. De alguma forma ela foi capturada ou está aprisionada em algum lugar. Mas você não conseguirá vê-la ou ao menos ir ajudá-la agora.

Olhe para frente e você verá uma espécie de ponte de madeira com a estranha vegetação com bulbos vermelhos, que você já conhece da Era J’nanin. Isso leva a crer que a criaturinha meiga, mistura de hamister-esquilo, também deve viver nesta Era.

Atravesse esta ponte de bulbos vermelhos. E siga para a direita como se estivesse contornando o lugar, mantenha a sua direita até encontrar uma passagem circular com iluminação azulada, ela lembra o interior de um grande tronco. Siga este caminho até deparar-se com uma planta que lembra um grande cacau. Na verdade é uma flor-luminária. A direita desta planta você verá uma enorme folha de bananeira enrolada. Toque no pendulo da flor e ela irá abrir revelando sua intensa luz amarela. Ao mesmo tempo a folha de bananeira irá se estender criando uma ponte.

Acessando a Armadilha do Hamister-Esquilo. Após a folha da bananeira abrir-se na sua frente, siga até o final dela. Você verá uma espécie de trapézio vegetal bem acima de você. Agora olhe para a direita e você verá o platô com os estranhos acessórios que configuram uma armadilha. Clique uma vez sobre o trapézio vegetal. Ele irá baixar até a sua altura. Clique novamente sobre ele e você irá ver seu cursor mudar de mãozinha para trapézio. Agora aponte o trapézio à sua frente e tente acessar o caminho do outro lado da ravina. Você conseguirá balançar até o meio do caminho, pois justamente a ponte com os bulbos vermelhos irá atrapalhar a sua chegada ao outro lado. O que fazer? É bem simples. Você precisa fazer os bulbos da ponte incharem para que a ponte quebre. E para isso você precisa da ajuda da criaturinha hamister-esquilo.

Sua meta aqui não é capturar a criaturinha meiga, mas sim espanta-la deste local. Isso é meio ilógico, mas é assim que irá funcionar. Clique no trapézio uma vez, posicione seu cursor para a direita na direção do platô iluminado e o trapézio irá aparecer. Você irá balançar e será transportado até lá. Ao chegar note que há uma engrenagem manual atrás de galhos secos, trata-se de uma manivela e uma aparelho que parece puxar a armadilha arredondada de peles para cima. Clique nesta manivela e a armadilha irá subir.

Agora aproxime-se do local onde a armadilha estava e clique sobre as sementes cor-de-rosa, elas parecem uma saborosa refeição. As sementes irão chacoalhar e uma delas irá cair em uma espécie de sulco na madeira. Contudo esta seria a posição certa para capturar a criaturinha, mas nós não queremos capturá-la lembra? Bem, clique novamente sobre a semente cor-de-rosa e ela irá para frente, ficando exatamente no centro do platô. Agora vá em direção a manivela, e veja uma abertura à sua direita, acesse este local e você irá escorregar para uma bifurcação onde você já esteve antes, dentro do tronco com iluminação azulada.

Siga para a esquerda e acesse novamente a ponte de folha de bananeira. Olhe para sua direta novamente você verá o bichinho comendo a semente ao longe em cima do platô. Note que próximo a você há uma manopla de metal, clique sobre ela e a armadilha irá descer. A criaturinha não poderá entrar novamente na toca e seguirá pelo caminho da ponte com os bulbos vermelhos. No meio da ponte ela ira trinar e os bulbos irão inchar. Ao mesmo tempo a ponte irá ruir e cair. Agora sim você poderá balançar até o outro lado desta ravina vegetal.

Salvando a Mãe Pássaro. Após atravessar a ravina vegetal no trapézio, dobre para a esquerda e você verá uma nova planta-luminária, clique sobre seu pêndulo e ela abrirá fazendo a folha de bananeira desenrolar-se. Agora você já tem um novo caminho para acessar o patamar superior da Era onde você encontrou o peixe-elétrico e as páginas de Saavedro.

Não atravesse a folha de bananeira, siga para a esquerda onde você verá outras flores cor de lavanda iluminando o caminho. Desça pelo caminho sinuoso. No final deste patamar você verá uma grande planta carnívora, note que a cabeça da Mãe Pássaro, irá aparecer e ela irá piar desesperada. Contudo no momento você não poderá fazer nada para retirá-la deste local. Mas há uma solução para tudo. Gire 180° graus e olhe em direção ao aclive onde você estava, agora note à sua esquerda uma abertura em forma de triângulo que mostra o mar azul ao fundo. Acesse esta passagem para ter acesso a outro patamar desta ilha- árvore.

Clique na direção deste acesso e dobre para a esquerda, com quatro cliques, todos para a esquerda, você entrará em um novo nível onde a vegetação parece ser mais intensa. Na sua frente você verá outra planta-bulbo e a sua direita mais uma demonstração da arte pintura sobre pedra de Saavedro. Clique à sua esquerda duas vezes e você verá a coroa vermelha da planta-bulbo, você deve tocar na coroa vermelha para trazer o peixe-elétrico até aqui. Após o peixe-elétrico chegar, você poderá ver com mais detalhes a obra de Saavedro. Veja os dois irmãos Sirrus e Achenar falando das maravilhas dos Livros de Ligação e da confecção de Eras. Na direita da pintura você verá Saavedro com sua esposa Tamra e suas filhas observando tudo de longe. Ao mesmo tempo fica implícito que a população abandonou seus costumes para render-se as maravilhas divulgadas pelos dois irmãos inescrupulosos. Saavedro mostra muito bem seus sentimentos nesta pintura. Olhe para o chão e veja restos de tinta e pinceis próximos a planta-bulbo.

Após contemplar a pintura, clique para sua esquerda duas vezes e você irá deparar-se com uma bifurcação. Estes dois caminhos ajudarão você a salvar a Mãe Pássaro, contudo devemos primeiro seguir para a esquerda. Você verá uma área com iluminação verde e outra planta-bulbo mas não teremos acesso a ela ainda. Siga pelo declive à sua frente clicando duas vezes, na realidade este declive parece uma escada. Agora aproxime-se da área com iluminação verde.

Note que ela parece com o lago ou aquário que vimos no patamar superior quando entramos na floresta. Agora aponte seu cursor para cima, veja enormes raízes saindo da parte superior e caindo sobre esta área iluminada. Estas raízes são da planta carnívora que está aprisionando a Mãe Pássaro. E se conseguirmos liberar água e o peixe-elétrico nesta enorme bacia vegetal, a planta carnívora irá receber um grande choque e irá libertar a Mãe Pássaro. Então agora temos que acessar uma fonte de calor para poder fazer a planta-bulbo reagir e expelir o líquido do seu interior.

Então toque na coroa vermelha da planta-bulbo para trazer o líquido e o peixe-elétrico até este lugar. Depois de observar a planta-bulbo inflar, tome o caminho à sua esquerda, note que é um aclive sinuoso, dobre a direita e clique três vezes. Você irá ver um dispositivo de mensagens, igual aquele que você conheceu na Era Voltaic na Câmara Eletromagnética. Toque na esfera de metal no centro do mecanismo e você irá ouvir e ver outra mensagem emocionada de Saavedro.

Vinte anos. Por vinte longos anos eu fiquei sozinho. Eles me enviaram uma mensagem, você sabia? Eles destruíram todos os meus Livros de Ligação na minha frente me fizeram prisioneiro. Eles tomaram tudo que eu tinha, minha esposa e minhas duas garotinhas. Quando eu finalmente consegui voltar para Narayan, eu pude ver…Eu pude ver…Era melhor que eu tivesse morrido…

Ao olhar novamente para o mecanismo veja ao longe na parte superior à direita outra flor-lente similar a que você conheceu no patamar superior desta Era. Mas não há nenhum raio de sol na região onde ela se encontra. Teremos que trazer o sol até ela para que a mesma possa aquecer a planta-bulbo. Bem teremos que lamentar o triste destino de Saavedro depois, ou talvez amaldiçoá-lo, já que estamos nesta fascinante encrenca graças a ele.

Ajustando a flor-lente. Depois de ouvir e ver a mensagem dobre a esquerda, você chegará até uma folha de bananeira enrolada. Contudo não há nenhuma planta-luminária por perto para abrí-la. E parece que este é o único caminho até a flor-lente que está um patamar acima deste. Volte até o mecanismo de transmissão de mensagem. Agora dobre a direita e suba até a área com iluminação verde. Suba a escada e vá até a pintura de Saavedro. Agora de frente para a bifurcação, tome o caminho da direita.

Siga o declive e veja a sua direita uma extraordinária planta lilás que lembra uma enorme orquídea, esta será a primeira orquídea-lente. Ao clicar sobre ela nada irá acontecer. Contudo há outras espécimes similares pelo caminho. Siga para a sua esquerda e veja outra orquídea a segunda orquídea-lente. Clique no centro desta bela flor. Ela também é uma espécie de flor-lente, contudo parece ter uma intensidade menor do que aquela que utilizamos no patamar superior desta Era.

Retome o caminho e dobre à esquerda, veja no final deste nível raios de sol entrando através de uma grande abertura na parede da árvore. No final deste caminho há outra flor. A terceira orquídea-lente. Vá até a parte detrás dela e clique no seu centro ela irá captar os raios de sol e você poderá apontá-los até a segunda orquídea-lente. Aquela a qual você acabou de manusear. Saia desta orquídea-lente e siga até a próxima. Agora sim ela terá uma função mais específica. Aponte ela para baixo a direita, até encontrar a folha de bananeira. A folha irá abrir. Só tem um porém, se você parar de apontar a luz nesta direção a folha irá fechar e você precisa dela desenrolada para acessar o nível superior. Então mantenha a flor posicionada nesta direção.

Agora siga até a pintura de Saavedro e de frente para a bifurcação siga o caminho da esquerda, passe pela área com iluminação verde, e antes de chegar ao transmissor dobre a esquerda, siga até a folha de bananeira. Atravesse e você verá um tronco velho cheio de cogumelos e luzes amarelas. Suba por dentro deste tronco. No final você estará no patamar superior. Siga em frente e no final dobre a esquerda. Acesse a flor-lente com pétalas amarelas e vermelhas, clique sobre sua sépala e você verá que a mesma está apontada diretamente para a planta- bulbo. Ela precisa só um pouco de sol agora. Saia da planta-lente e olhe ás suas costas, você verá logo acima outra orquídea-lente. Acesse esta nova planta que será a quarta orquídea-lente. Posicione-se atrás dela e clique no seu centro, agora aponte a mesma na direção da sépala da flor-lente. Pronto, agora só precisamos direcionar os raios de sol para esta orquídea-lente.

Dobre a direita, e acesse novamente o tronco com cogumelos, desça pelo interior dele e atravesse a folha de bananeira. Siga em frente e dobre a direita, agora passe pela área com iluminação verde e a planta-bulbo e suba até a pintura de Saavedro. Tome o caminho da direita e vá até a terceira orquídea-lente, agora mire ela para a primeira orquídea-lente, justamente aquela a qual você não conseguiu acessar à princípio. Ela está diretamente apontada para a quarta orquídea-lente, que está do outro lado da ravina próximo a flor-lente. Depois destes procedimentos, você verá a planta-bulbo expelir todo o seu líquido e o peixe-elétrico para a bacia verde logo a frente. Instantaneamente a planta carnívora irá receber uma grande descarga elétrica e isso irá libertar a Mãe Pássaro, você verá ela fugindo para a grande abertura na parede da árvore que está banhada pelos raios de sol. Que sensação de dever cumprido…

Você pode estar se perguntando: bem, depois disso tudo? Como poderei acessar o símbolo da NATUREZA? Não tenha pressa, agora você terá uma demonstração de verdadeira simbiose. Mantenha sua posição e aponte a terceira orquídea-lente novamente para a segunda orquídea-lente, isso irá fazer com que a folha de bananeira abra-se novamente. Siga até a pintura de Saavedro e de frente para a bifurcação tome o caminho da esquerda. Passe pelo laguinho onde está o peixe-elétrico e siga até o final do caminho sinuoso, antes de chegar no mecanismo transmissor de mensagens, vire a esquerda e atravesse a folha de bananeira.

Clique seis vezes até chegar ao topo do tronco velho cheio de cogumelos. Não saia do tronco, agora gire 180º graus e você verá uma abertura que mostra o mar e o céu logo adiante. Clique sobre esta abertura circular. Note acima de você bem à sua direita a entrada de outro tronco. Clique sobre ele. O tronco estará com os veios da madeira voltados para fora. Clique no seu interior e você entrará neste segundo tronco. Agora clique quatro vezes e você irá ver a saída circular com o mar azul ao fundo. Vá até esta abertura, agora gire 180º e volte pelo mesmo caminho com dois cliques, olhe para direita no chão. Há mais páginas do Diário de Saavedro, estas folhas estão próximas a cogumelos luminosos. Toque nelas para incorporá-las ao diário.

Neste trecho do diário podemos ler várias revelações. Segundo as palavras de Saavedro, Atrus chegou primeiro em Narayan e conheceu Saavedro. Atrus estava fazendo pesquisas para a construção de uma nova Era. Mas até aquele momento Saavedro ignorava o que tudo aquilo significava. A intenção imediata de Atrus era estudar a origem e a manutenção das árvores Lattice, este vegetal é o centro de toda a cultura de Narayan.

Depois de alguns meses de estudo e vivendo sob os cuidados da família de Saavedro, Atrus foi embora dizendo que mandaria seus filhos para novas pesquisas. O que Atrus ignorava era a verdadeira índole de seus filhos, que apenas desejavam arrancar as riquezas dos nativos e a pureza das árvores Lattice, desestabilizando todo o equilíbrio desta Era. Aparentemente as árvores Lattice serviam de matéria prima para a confecção de Livros de Ligação. Saavedro também ignorava a natureza de Sirrus e Achenar ao pensar que eles seriam como o seu pai.

Depois de ler estas novas páginas do diário, siga até a saída circular ás suas costas e você verá uma nova ravina. Siga até o final do caminho e olhe para baixo. Veja outro trapézio natural. Clique sobre ele e seu cursor irá mudar para a figura de um trapézio. Desta vez você não irá balançar e sim descer a outro patamar da floresta, este é o nível mais baixo da árvore-ilha. Você terminará este estágio olhando para cima na direção do trapézio. Agora olhe para frente. Você verá uma bifurcação. Siga para sua direita e veja uma escadaria incrustada no tronco da árvore. Suba neste platô pequeno e veja uma enorme folha verde e vermelha com um enorme pistilo na direita, na verdade parecem garras. Esta é uma planta-elevador. Para utilizá-la basta subir sobre ela, imediatamente a grande folha irá levá-lo novamente para o patamar superior.

Acessando a Grande Alcachofra. Agora volte para o início e siga pelo caminho à sua esquerda, com dois cliques você entrará em uma área pantanosa iluminada de azul e lilás. Um belo local. Bem à sua frente você verá um enorme bulbo roxo que eu chamarei de ALCACHOFRA, apesar de alguns jogadores o chamarem de repolho. Veja que há dois pistilos em cima desta grande alcachofra, eles servem para atrair os insetos polinizadores.

Agora siga para a sua esquerda e continue subindo o pequeno aclive até o final do caminho sinuoso pontilhado de musgo. Quando você chegar no final do caminho sinuoso poderá ver uma grande abertura para o mar e a sua direita outra orquídea-lente. Posicione-se atrás desta orquídea e clique sobre o centro dela. Ela estará apontada para um tronco marrom. Agora mova ela para a direita até encontrar os pistilos da ALCACHOFRA. Note que quando a luz incide sobre eles os mesmos ficam eretos prontos para receber os insetos.

Gire 180º graus e você verá o mar atrás de você. Vire-se para a esquerda e clique sete vezes, você descerá pelo caminho o qual usou a instantes, contudo depois do último clique, você estará de frente para alguns troncos cheios de musgo que parecem pedras, olhe para o chão e você verá pequenos cogumelos brancos. Esta é a entrada de uma área anexa com outra ALCACHOFRA, porém ela já foi parcialmente dilacerada pela Mãe Pássaro e restará alguns insetos que voam por cima dos seus pistilos. Sua meta é mandar estes insetos para a outra ALCACHOFRA.

Ao entrar nesta nova área, olhe para a sua direita e você verá belas flores brancas penduradas como trepadeiras à sua frente. Siga este caminho até o final e você encontrará outra planta com folhas em formato de leque, como aquela que você viu no início desta Era e que escondia o segundo Livro de Ligação para J’nanin. Lembra?

Você deve ofuscar os raios de sol desta área, forçando os insetos a desistirem desta ALCACHOFRA. Toque o bulbo verde no centro da grande planta e as folhas em formato de leque irão abrir-se para impedir a passagem dos raios de sol. Olhe para a ALCACHOFRA, os insetos parecem insistir em ficar sobre ela. Saia deste patamar e siga o aclive o qual você utilizou e volte para o início próximo as flores brancas, agora tome o caminho da esquerda e siga até o final.

Você verá à sua direita a base da ALCACHOFRA com vários bulbos próximos a ela e alguns cogumelos. Fique próximo a ALCACHOFRA. Olhe para a sua esquerda e clique uma vez sobre o enorme bulbo vermelho. Ele irá expelir uma espécie de pólen que espantará os insetos, eles seguirão para a primeira ALCACHOFRA. Gire 180º graus e veja às suas costas a entrada do que parece ser um túnel lilás.

Você deverá entrar neste túnel para concluir sua meta. Contudo se o fizer agora, notará que nada irá acontecer quando você acessar as suculentas sementes cor-de-rosa. Dobre a esquerda e suba pelo aclive até chegar nas flores brancas que você viu no início do caminho. Depois dobre a direita até encontrar a entrada para a primeira área visitada. Dobre a esquerda novamente e siga até a orquídea-lente, no caminho olhe para a primeira ALCACHOFRA note que os pistilos estão abaixados e os insetos circulam o seu topo. Acesse a orquídea-lente e aponte novamente os raios de luz na direção dos pistilos. Você verá a grande ALCACHOFRA abrindo suas pétalas e deixando as sementes bem amostra para a Mãe Pássaro. Pronto agora volte para a entrada do túnel lilás na área anexa a esta.

Sementes para a Mãe Pássaro. Preste atenção para não se perder no túnel. Entre e siga para a esquerda, você verá que o túnel inclina-se para baixo em angulo agudo, com mais dois cliques você verá mais páginas do Diário de Saavedro incorpore-as. Agora siga adiante clicando três vezes. Você chegará no final do túnel, olhe para cima e clique mais uma vez, você verá as sementes cor-de-rosa, que estão dentro da ALCACHOFRA. Agora você deve alcançá-las clicando na parede roxa com veios rosa-choque você terá acesso a parte superior do galho que suporta as sementes. Olhe para cima e você verá os insetos voando em cima dos pistilos. Agora olhe para sua esquerda e você verá as sementes expostas praticamente chamando pela Mãe Pássaro. Note que acima delas há uma espécie de trapézio de galhos, clique sobre ele a planta irá expelir um pouco de pólen e as sementes irão subir formando uma gaiola e você estará dentro deste invólucro.

Aguarde alguns segundos e a Mãe Pássaro retribuirá o seu favor o levando até o seu ninho no nível superior da árvore-ilha. Você terá um lindo vôo panorâmico. Ao pousar a Mãe Pássaro ficará perto do filhote e de outros ovos na cor verde.

Você deverá sair pela sua esquerda escorregando até o interior de um lugar que antes era inacessível. Justamente o platô que você visualizou ao chegar nesta Era através da primeira flor-lente. Bem à sua frente você terá acesso ao símbolo da NATUREZA, incorpore a página nos seus itens. Vire-se para a esquerda e veja o Livro de Ligação para voltar a J’nanin. Clique na imagem do livro e você será transportado para o interior da Torre Central.

Incorporando o símbolo da NATUREZA. Aproxime-se do aparelho semelhante a um retro-projetor e coloque a página com o símbolo da NATUREZA sobre a tela de vidro circular usando o lado direito do seu mouse. Em seguida você verá a máquina fazendo a leitura da página e literalmente incorporando o símbolo ao mecanismo. A gaiola oval irá abrir à sua frente, mas você não terá acesso a ela. Em seguida uma nova mensagem de Saavedro para você. Para ver a mensagem novamente basta clicar na esfera azul à sua direita. Após ouvir a mensagem de Saavedro encaminhe-se para a
Era Amateria.

Não era o que você esperava Atrus? Espero que você tenha relembrado de suas lições. Você queria falar comigo pessoalmente para poder reclamar o seu Livro Releeshahn, acho que o desapontei… Eu li os seus diários em Tomahna, li tudo sobre os D’ni. Você realmente está recriando um mundo para eles? Você irá começar tudo de novo? Como você pode estar fazendo isso depois de tudo que aconteceu com Narayan? Eu acho que não… Eu acho que apenas a força de sua pena não será suficiente. Há muito sangue em suas mãos, há muitos fantasmas para lamentar… Somente mais um símbolo Atrus. Narayan está esperando por você…

Manual MYST III Exile. Introdução do jogo.
Manual MYST III Exile – Os Personagens. Explicando quem é quem e a interface do jogo.
Manual MYST III Exile – Era Tomahna. A nova casa de Atrus e Catherine.
Manual MYST III Exile – Era J’nanin. A Era do aprendizado.
Manual MYST III Exile – Era Voltaic. A Era das forças magnéticas.
Manual MYST III Exile – Era Edanna. A Era das forças da natureza.
Manual MYST III Exile – Era Amateria. A Era das forças dinâmicas.
Manual MYST III Exile – Era Narayan. A Era do equilíbrio de forças.

Texto e comentários por: Adriana B. Portes.
Siga para Era Voltaic ou para Era Amateria