A Fascinante Série MYST

Texto por: Adriana B. Portes.
Uma introdução a série MYST.
Um pequeno histórico de seu desenvolvimento.

Olá visitante. Este site é dedicado aos mistérios dos jogos da série MYST e a todos que tentam decifrar seus enigmas e partilham a emoção de conhecer a história dos D’ni. Este site representa também, uma homenagem a toda a equipe criadora deste maravilhoso jogo de aventura.

Tomei conhecimento dos jogos da série MYST em 1998 através de um anúncio vinculado em uma revista de informática. Fiquei impressionada com as fotos que mostravam as paisagens de um jogo chamado MYST II Riven. Imediatamente fui em busca de novas informações sobre os jogos envolvendo a série, e ao fazer uma busca na internet fiquei um tanto decepcionada, pois eram poucos os sites que faziam referência a este magnífico jogo naquela época, bem diferente de hoje em dia, onde existem dezenas de sites que divulgam ou ensinam como desvendar este universo fascinante.

O universo MYST foi criado por dois irmãos: Rand Miller e Robyn Miller. Posteriormente para aprimorar o conceito dos D’ni e sua civilização, eles contaram com a colaboração de David Wingrove, Richard Vander Wende, Tim Larkin, Chuck Carter, Chris Brandkamp, Ryan Miller, Josh Staub, Stephan Martiniere e Richard Watson. Para realizar o projeto, os irmãos Millers fundaram em 1987 a empresa Cyan e posteriormente construíram uma sede própria, em Spokane, uma cidade no interior do estado de Washington – WA.

No início, os Millers começaram a trabalhar juntos em vários projetos voltados para a educação infantil, e criaram previamente três jogos que fizeram muito sucesso: The Manhole, Spelunx e Cosmic Osmo, nestes jogos podia-se vislumbrar algumas pistas do que viria a ser o novo projeto que conhecemos hoje como MYST. Ambos decidiram criar um jogo destinado ao público juvenil e adulto chamado MYST, onde o explorador estaria sozinho em uma ilha cheia de intrincados dispositivos. Este jogo, lançado em 1993, deu sustentação financeira para a criação dos demais jogos da série.

Posteriormente, após a conclusão de MYST II Riven em 1998, Robyn Miller deixa a Cyan e funda sua própria empresa chamada Land of Point. E no final da década de noventa a empresa japonesa Sunsoft, trabalha em conjunto com a Cyan para criar uma nova versão, uma espécie de remasterização do jogo MYST, chamado Real MYST. As sequências MYST III, MYST IV e MYST V tiveram a criação dos roteiros e dos jogos, distribuídos por equipes ou produtora, e cada jogo possuía um autor em colaboração com Rand Miller.

Para aqueles que gostam de ir a fundo na história que permeia MYST, existem publicações em inglês do próprio Miller com colaboradores: The Book of D’ni, The Book of Ti’Ana e The Book of Atrus. E um livro que engloba todas as publicações chamado MYST Reader. No final de 2005 juntamente com o lançamento do quinto jogo da série chamado MYST V End of Ages, foi anunciado o possível lançamento do livro Book of Marrim escrito por David Wingrove. A quarta aventura em livro, contaria mais detalhes sobre a família de Atrus juntamente com a história de Marrim, uma mulher que viveu na Era Averone e participou ativamente da reconstrução D’ni.

Mas como tudo começou? O primeiro jogo da série foi lançado no início da década de noventa, por volta de 1993 e chamou-se MYST. Levando em conta os recursos dos computadores da época, os gráficos não eram tão apurados como os gráficos atuais, contudo os Millers se consagraram por criar uma nova forma de jogar no computador, ‘o sistema aponta e anda’, o que elevaria a categoria dos jogos de simples movimentos, restritos comandos e sons repetitivos, para um mundo quase real e palpável, onde o jogador, com o auxilio de um leitor de CD, um mouse e um teclado poderia mergulhar de corpo e alma na aventura, uma imersão total. Hoje em dia este conceito é usual, mas em 1.993 era algo completamente inovador.

Como a série MYST não limitou-se há uma única aventura, e sim, representou uma série com a história de uma civilização, não podemos prever se e quando a aventura irá terminar, contudo vale lembrar que o lançamento de End of Ages, aparentemente coloca um fim na aventura envolvendo a família de Atrus. Mas ainda há muito o que explorar neste universo, principalmente no que tange a Civilização D’ni. MYST atualmente possui cinco seqüências, MYST I e seu irmão mais elaborado, Real MYST. MYST II Riven, MYST III Exile, MYST IV Revelation, MYST V End of Ages, o Spin-off Uru Ages Beyond MYST, e suas expansões Uru To D’ni e The Path of the Shell. E mais recentemente também houve o lançamento de Real MYST Masterpiece, com gráficos belíssimos.

O que é URU? O Spin off, Uru Ages Beyond MYST fez grande sucesso, principalmente no Canadá e na Europa. Além de revelar vários segredos da Civilização D’ni, era possível jogar em tempo real. Com esta ideia em mente a Cyan decidiu lançar o jogo on-line no final de 2004, contudo depois de três meses de seu lançamento o projeto mostrou-se inviável. Este projeto foi um grande problema para a empresa, que sofreu uma grande perda financeira. Rand Miller na época, disse que o número de inscrições tanto pagas como não, eram muito pequenas e o projeto não estava se sustentando.

Contudo o projeto continuou guardado, The Path of the Shell foi um dos resultados. Creio que a Cyan tinha como projeto lançar vez por outra, uma expansão que estaria destinada ao jogo on-line para a venda em larga escala. Assim parte do investimento seria compensado. Porém até o momento não há sinal de novos lançamentos ligados as expansões do Uru Ages Beyond MYST. Mas no futuro quem sabe…

Alguns dos motivos alegados para o fim prematuro do primeiro jogo on-line, foram que: os jogadores gostam de jogar sozinhos, toda a temática do jogo é solitária mesmo. E o jogo on-line é destinado somente a quem possui banda-larga, exigindo várias horas de conexão ativa. Porém, nem tudo estava perdido… Entre 2005 e 2006, o projeto de reviver a aventura on-line de Uru Ages Beyond MYST foi retomado com um servidor próprio da Cyan, os recursos eram diminutos, mas a estratégia era boa. Neste projeto, você poderia encontrar amigos e ter acesso a novas informações sobre a Civilização D’ni e a Grande Caverna. Contudo esta empreitada foi desativada no final de 2006 devido o sucesso do segundo jogo on-line. Em dezembro de 2006, com o renascimento do Uru Live, o servidor D’mala do Until Uru foi desativado. Não fazia sentido ter os dois jogos ativos concomitantemente. Porém em fevereiro de 2008, com um pouco mais de um ano de vida, foi anunciado que a versão mais recente do Uru Live também chegava ao fim. Em abril de 2008 o jogo on-line foi desativado por tempo indeterminado. Leia mais em Notícias.

Mas não era o fim. Em fevereiro de 2010 a esperança renasceu, o Uru Live despertaria, agora com o sugestivo nome de MO:ULagainMYST On-line URU Live Again. Sob a tutela exclusiva da Cyan, todos estão convidados a participar, o jogo além de ser gratuito, proporciona acesso a todas as Eras criadas até 2008. Leia mais em Notícias.

Altos e baixos… No final de 2005, mesmo com o lançamento de MYST V End of Ages, a Cyan passou por problemas financeiros e quase fechou, naquele momento ninguém sabia o que o futuro reservava para a empresa que criou a série MYST. Em meados de 2006 novos projetos começaram a florescer, mas o futuro era uma incógnita. Atualmente eles estão com um novo projeto chamado Obduction, um novo jogo que promete muito. Leia mais em Notícias e saiba mais sobre o projeto.

Para nós simples mortais, resta torcer para que as criações da equipe Cyan, não se percam nas prateleiras empoeiradas da falta de imaginação que reina na maioria dos jogos do mercado. Certamente se outros jogos forem lançados por Rand Miller e sua equipe, eles irão trazer o mesmo ar de mistério e tradição, que cercaram a Civilização D’ni e a família de Atrus nas aventuras inesquecíveis do universo MYST.

Siga para a entrada